Qual a porcentagem máxima do meu salário que posso comprometer com um financiamento?

Considerando minhas despesas mensais, gostaria de saber:
Qual a porcentagem do meu salário posso comprometer com as parcelas de um financiamento imobiliário?

6 curtidas

Quando se trata de comprometer uma parte do seu salário com as parcelas de um financiamento imobiliário, é bom ser cauteloso para não ficar com o orçamento muito apertado.

Geralmente, é recomendado que você destine no máximo cerca de 30% do seu salário líquido para pagar a parcela do financiamento.

Isso ajuda a garantir que você ainda tenha espaço no orçamento para outras despesas e imprevisto, que infelizmente sempre podem acontecer!

4 curtidas

Parabéns pela iniciativa de se planejar para comprar um imóvel @Helena ! É fundamental ter uma visão clara das suas finanças antes de assumir um compromisso tão importante.

Embora a regra dos 30% seja um bom ponto de partida, é fundamental analisar sua situação individual para determinar um valor mais preciso e seguro.

De início você deve anotar todas as suas despesas fixas e variáveis no mês, para ter uma noção de valor médio que você já tem que deixar reservado.

Feito isso, agora você tem que considerar toda a renda bruta familiar e abater também as dívidas de financiamentos, empréstimos, cartões de crédito, etc.

Com base em todas essas informações, você poderá calcular a porcentagem ideal do seu salário para comprometer com as parcelas do financiamento.

5 curtidas

Comprar um imóvel é um investimento importante para o seu futuro.

Com planejamento e responsabilidade financeira, você poderá realizar esse sonho com segurança e tranquilidade.

Para isso você precisa ser realista, então não comprometa mais do que você pode pagar com tranquilidade.

É bom construir uma reserva de emergência, para imprevistos que possam surgir durante o financiamento.

E por fim, claro que mantendo um bom histórico de crédito você pode ter acesso às melhores taxas de juros.

4 curtidas

Alguns especialistas financeiros podem sugerir uma faixa de 25% a 35%, dependendo da sua situação financeira e dos custos adicionais associados à propriedade.

É importante também considerar suas outras obrigações financeiras, como dívidas de cartão de crédito, empréstimos estudantis ou veiculares, e despesas cotidianas.

Manter suas despesas de moradia dentro de uma faixa razoável ajuda a evitar o superendividamento e assegura que você tenha flexibilidade financeira para poupança e investimentos.

4 curtidas